Arquivo mensal: fevereiro 2016

2016 com disposição física e mental, a hora é agora

Padrão

Sabe como adquirir disposição física e mental? Fazendo aula de circo, é sério!

Veja só:

Muitas pessoas acham difícil encarar essa iniciativa. A imagem que temos é de que fazer aula de circo é algo difícil e que só artistas podem fazê-la, mas isso não é verdade.

Os educadores circenses estão sendo muito procurados por escolas, academias, estúdios e clubes da cidade, devido aos inúmeros benefícios que essa arte proporciona aos adeptos.

O objetivo das aulas de circo é de desenvolver aspectos motores, cognitivos, afetivos e sociais e, com a prática, as aulas se tornam um atrativo pelo prazer e diversão que proporcionam.

No Circo Escola Trupetralha, sediada em BH, o aprendizado e treinamento são praticados com segurança, seriedade, dedicação dos professores, muita diversão e interação entre os alunos. Seja fazendo as aulas ou ensaiando números coreografados, a consciência e a definição corporal são alcançados sem que isso seja o objetivo inicial.

Veja o que disseram alguns de nossos alunos sobre as atividades circenses:

A psicóloga Regina Pereira Alves, de 38 anos, faz aulas de circo há mais de um ano e diz: “Faço aulas de circo para ser feliz! Precisa mais do que isso? Tenho benefícios como emagrecimento, condicionamento físico, disposição, agilidade física-mental, faço amigos, é tudo de bom”.

Regina afirmou que, inicialmente, achava as atividades difíceis, mas aos poucos foi ganhando confiança e conseguindo realizar movimentos, e se divertindo cada vez mais.

A musicista clarinetista Emília Carneiro, de 22 anos, está envolvida com as atividades há um ano e diz: “Quando criança, caí de bicicleta e não quis aprender mais, não gostava de atividade física, e no circo nunca imaginei que fosse gostar tanto das aulas, o que me ajudou a perder o medo de palco,  a emagrecer e a ganhar consciência corporal”.

Emília 1

Vitor Gouvêa Santos, de 29 anos, descobriu nas técnicas do circo várias atividades físicas: jogar malabares, executar movimentos acrobáticos, escalar tecido ficando a 7 metros de altura e se equilibrar em uma bola são exemplos.

O engenheiro cita que, além da diversão – um dos principais fatores que o atrai para a prática circense – há outros benefícios como o fortalecimento muscular e o condicionamento físico.

Vitor Gouvea

Natália Murta Dornelas, de 29 anos, é muito concentrada nas aulas que pratica e, para ela, fazer circo é uma redescoberta do corpo e de suas habilidades. A bióloga cita também ter muitos benefícios: “Adquiri força, flexibilidade e amigos, e tudo é muito divertido”.

Já Stella, de 16 anos, procurava uma atividade física lúdica, e as aulas de circo lhe foram indicadas pela sua irmã. A estudante vê as aulas de circo como uma ‘válvula de escape’ e que também contribuem para a melhora dos fatores psicológicos e sociais: “O circo entrou na minha vida num momento muito difícil. Eu estava com depressão grave e minha psicóloga sugeriu uma atividade física, e ela estava certa. O circo me ajudou muito”.

Podemos conquistar o impossível? Sim!

Ana Raquel, professora universitária de 45 anos, é fascinada por circo e todo o universo circense desde criança. Ela diz ter inúmeros benefícios com as atividades.

E para fechar a nossa matéria perguntamos a ela: porque fazer circo?

Ana Raquel 1

Ela responde: “Em primeiro lugar, praticar uma atividade física com sentido, participar e conhecer melhor uma cultura milenar tão rica e variada. Há também os benefícios físicos que são tantos que nem vou enumerar, e ainda a convivência em um ambiente alegre, solidário, onde cada conquista é comemorada, independente do nível. Por último ressalto a realização pessoal, a superação de limites, a conquista de habilidades que eu julgava impossíveis. Os sonhos não envelhecem”. 

E você, está esperando o que?

Confira os nossos cursos.

Anúncios